Festival de Arte Negra BH Celebra 20 anos

Festival de Arte Negra BH Celebra 20 anos

Festival de Arte Negra BH Celebra 20 anos
Belo Horizonte / MG - 29/11/15 - 8º Festival de Arte Negra - FAN ( Foto: Nereu Jr )
Belo Horizonte / MG – 29/11/15 – 8º Festival de Arte Negra – FAN ( Foto: Nereu Jr )

Belo Horizonte, capital de Minas Gerais no Brasil, se transforma na capital da arte e cultura negra de 25 a 29 de novembro.

Celebrando 20 anos de criação do Festival de Arte Negra (FAN), tem como tema para esta oitava edição “Encontros”.O FAN BH, a cada ano vem fortalecendo o diálogo com a diversidade cultural.

Nesta sua oitava edição, reforça o caráter intercultural e a riqueza proveniente dos diálogos entre povos, saberes, continentes, arte e a cidade.

Negr.a (BH) - Por Paulo Cesar
Negr.a (BH) – Por Paulo Cesar

O festival contará com ações em espaços como o Parque Municipal, o Teatro Francisco Nunes, o Teatro Marília, o Circuito da Praça da Liberdade, o Viaduto Santa Tereza, o Sesc Palladium e a Academia Mineira de Letras, incluindo programação oficial e associada.

Gaby - foto Jr Franch
Gaby – foto Jr Franch

As atividades refletem o espírito multicultural do festival que, este ano, conta com atrações como a exposição do artista plástico Jorge dos Anjos, shows de músicos de renome nacional como Gaby Amarantos, Ilê Aiyê, Rico Dalasam, Tony Tornado, Banda Black Rio e pratas da casa como Zaika dos Santos, Douglas Din, Carla Gomes, NEGR.A – Coletivo de Negras Autoras, U Gueto, Samba da Meia Noite, entre outros convidados.

O Festival de Arte Negra de Belo Horizonte também promove ações como o Ubuntu – Encontro da Diversidade Religiosa, Cortejo e Encontro de Blocos, além de palestras, exibição de filmes da Cinemateca Francesa no Centro de Referência da Moda.

Toda a programação oficial é gratuita e serão cobrados ingressos em alguns eventos associados. A programação completa está disponível no site www.fanbh.com.br.

Tony+Tornado+créditos+Gabriel Alexandre Soul
Tony Tornado – foto – Gabriel Alexandre Soul

O FAN-BH, considerado um dos maiores eventos do segmento fora do continente africano, é realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Fundação Municipal de Cultura, em parceria coma a Associação dos Amigos do Centro de Cultura de Belo Horizonte – AMICULT. As ações educativas são realizadas em conjunto com a SMED – Secretaria Municipal de Educação.

Lançamento CD - Teatro Francisco Nunes - BH
Carla Gomes – foto – Athos Souza

Criado em 1995, no tricentenário de Zumbi dos Palmares, com o objetivo de dar visibilidade à vigorosa produção cultural dos povos africanos e seus descendentes, o FAN BH completa 20 anos de existência e sua celebração acontece em um momento icônico. A 8ª edição do festival ocorre justamente no primeiro ano da Década Internacional dos Afrodescendentes, cujo período é de janeiro de 2015 a dezembro de 2024. Trata-se de uma resolução da ONU, firmada em Assembleia Geral no ano de 2013, cujo objetivo consiste em promover o respeito, a proteção e a realização de todos os direitos humanos e liberdades fundamentais de afrodescendentes, como reconhecidos na Declaração Universal dos Direitos Humanos.

De acordo com Rosália Diogo, jornalista e pós-doutora em antropologia social, uma das responsáveis pela curadoria do FAN BH, todas essas “coincidências” motivaram o tema do festival este ano.  “É muito forte pensarmos que o berço da humanidade é a África. E encontramos manifestações de matriz africana em todas as partes do mundo. O Brasil é o segundo país no mundo em termos de população negra. O primeiro é a Nigéria, no continente africano e o segundo é o Brasil. A população de Belo Horizonte se constitui de mais de 51% de população negra. O tema Encontros avalia como está essa produção africana em Belo Horizonte, no Brasil e também fora”, explica.

O ator e produtor cultural e também curador do FAN BH, Denilson Tourinho afirma que o FAN, nesses 20 anos, fomentou a produção e valorização das artes negras na capital mineira.“Sou fruto desse processo. O festival contribui para as artes negras e nós contribuímos para que o festival se torne cada vez mais amplo no calendário oficial da cidade”, conta.

 A Multiplicidade dos Encontros

Segundo Leônidas Oliveira, Presidente da Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte, “um dos objetivos do festival é promover a convivência entre as várias manifestações culturais, não se restringindo apenas às provenientes de matriz africana, estimulando, dessa forma, as reflexões sobre a tolerância, o respeito e a diversidade”.

Cortejo e Encontro de Blocos

Nos últimos anos, Belo Horizonte presenciou a revitalização vigorosa e espontânea do seu carnaval e, ao mesmo tempo, o surgimento de novos e importantes blocos.

Fazendo jus ao tema “Encontros”, o local de encerramento do tema do 8o FAN BH não poderia ser outro que não a rua, espaço de apropriação, reconhecimento, construções e desconstruções.

No domingo, dia 29/11, os blocos Afoxé Bandarerê, Baianas Ozadas, Bloco Oficina Tambolelê, Bloco Afro Fala Tambor e as Sambadeiras e Bloco Afro Magia Negra, realizarão cortejos oriundos de pontos diversos da região central da cidade e se juntarão aos integrantes do  Ilê Aiyê para que, todos juntos, sob a direção musical de Rafael Leite, celebrarem o grande encontro musical, à partir das 16h, na Praça da Estação. O Ilê Aiyê realizará sua apresentação às 17h, no mesmo local.

OJÁ

Além das atrações que incluem artes cênicas, literárias e outras, o FAN BH tem como destaque o Ojá – Mercado de Trocas e Saberes, que conta com empreendedores de moda, arte, artesanato e beleza, com trabalhos voltados, principalmente para a temática afro-brasileira. O Ojá estará aberto ao público durante toda a programação do festival, de quinta a domingo, entre os dias 26 e 29 de novembro, no Parque Municipal. Quinta e sexta de 18h às 24h, sábado de 11h às 24h, e domingo de 10h às 19h.

Fanzinho

Entre os destaques dessa edição está o “Fanzinho”, cuja programação é voltada especialmente para o público infantil, com atividades como oficinas, filmes e contação de histórias. As atividades estão distribuídas por espaços como a Biblioteca Pública Infantil e Juvenil, o Centro de Referência da Moda, o Memorial da Vale e o Parque Municipal.

Encontros Literários

Os Encontros Literários têm o objetivo de promover o debate em torno da literatura feita por escritoras e escritores negros. Nessa edição, o tema principal é a escrita feminina e negra, sobretudo seu caráter de resistência. Para discutir o assunto, as mesas contarão com romancistas, poetas e pesquisadores de destaque nos âmbitos nacional e internacional.

 Cinema no FAN

A programação de cinema do FAN BH traz mais de doze produções africanas originárias do Senegal, RD do Congo, Angola, Moçambique e Burquina Fasso. São vários os temas abordados bem como as linguagens utilizadas conferindo à programação uma diversidade que vale a pena conferir. Alguns filmes foram realizados em parcerias com a França, e o festival os exibe por meio da Cinemateca Francesa. A mostra acontece no Centro de Referência da Moda e no Memorial da Vale, de quinta-feira à sábado, 26 a 28/11.

Festival de Arte Negra de Belo Horizonte, acontece de 25 a 29 de novembro de 2015.

 

Informações pelo site:  www.fanbh.com.br

Assessoria de Comunicação FAN BH

 

Jorcilina Correia

RELATED ARTICLES

Miss da Província de Angola – Cuando Cubango –  visitou Belo Horizonte

Leave a Reply